em 20/10/2020 às 18:47

Por SIMONE FORCATO FERREIRA

Em Arapongas - PR

Motivo: Experiência de Deus

No dia 16/12/2019 após estar se sentindo mal por pouco mais de uma semana, meu esposo Marcos foi internado, os exames de sangue, urina e raio x do pulmão que fez ao ser atendido, indicaram que ele estava com cerca de 20% da capacidade total pulmonar, devido a uma grave infecção pulmonar e insuficiência renal aguda. Seu estado de saúde que já estava delicado, continuou se agravando progressivamente. Na tarde do dia 17/12 foi transferido pra UTI e entubado. Dia 19/12 foi transferido para o hospital regional para que fizesse hemodiálise. Foi diagnosticado com SARA- Síndrome da Angústia Respiratória Aguda, Insuficiência Renal Aguda e leptospirose (não confirmado). A infecção no pulmão gerou uma inflamação pulmonar, o qual o pulmão colabou (colou), e sepse (infecção generalizada), perdendo 100% da capacidade respiratória e toda a função renal. De acordo com os médicos, ele era o caso mais grave da UTI dos casos mais graves do hospital. Foi submetido a hemodiálise durante vários dias seguidos sem que houvesse qualquer sinal de melhora. Todos os dias, eu o visitava na UTI, e o consagrava a Nossa Senhora com água de Lourdes que recebi de uma amiga. À medida que a água ia diminuindo, eu a completava com a água benzida pelo Padre Reginaldo Manzotti. Durante esse período, me tornei associada e desenvolvi o hábito de rezar o terço. Fiz inúmeras novenas, inclusive a de 90 salves rainha, que rezava pela manhã e no final da tarde ao chegar do hospital (180 ao dia) por 3 vezes seguidas. No programa Evangelizar é preciso do dia 03 de janeiro que foi a primeira sexta-feira do ano, foi lido o Salmo 108 que falava sobre a Grandeza do nome de Jesus, e eu clamei com toda a minha fé e pedi pra que Jesus derramasse uma gota, uma partícula que fosse do seu precioso sangue sobre o Marcos, que percorresse todo seu corpo, banhasse cada célula e o restaurasse por completo. Nesse mesmo dia, após 16 dias entubados, ele foi submetido ao procedimento de traqueostomia. Segundo os médicos, o quadro clínico que ele desenvolveu era completamente incompatível com a vida. Um deles, dizia que não me daria falsas esperanças e pediu para que eu me despedisse dele. Disse que ele estava vivendo 100% ligado a máquinas (pulmão, rim, coração) e que se elas fossem desligadas, ele não sobreviveria por cinco minutos. No entanto, após o dia 03 de janeiro, finalmente ele começou a apresentar alguns pequenos sinais de melhora e seu organismo começou a reagir. Permaneceu na UTI até dia 30 de janeiro. Teve alta hospitalar no dia 9 de fevereiro de 2020. Após várias sessões de fisioterapia, recuperou os movimentos e voltou a ser independente. Hoje não está apenas vivo, mas está saudável e sem sequelas. Apenas com algumas cicatrizes que nos lembra a todo dia que Deus está acima de todas as coisas e todas as enfermidades, que não há nada maior e mais poderoso do que o nome de Jesus Cristo. A fé é a arma mais poderosa que podemos ter, mesmo contra o que parece ser irreversível aos olhos humanos. Foram feitas inúmeras correntes de oração por familiares, amigos, pessoas próximas e que nem nos conheciam. Sem dúvida Deus ouviu nossas preces. Espero que esse testemunho sirva para dar esperança e renove a fé daqueles que nesse momento estão passando pelos momentos de dor, angústia e incerteza que passamos. Em nome de toda a família, agradeço de todo o coração a Deus, ao padre Reginaldo Manzotti representante dele na terra e a todos que rezaram conosco pedindo a Deus que nos concedesse esse milagre.