em 11/11/2019 às 10:27

Por Filho(a) de Deus

Em Cabedelo - PB

Motivo: Jesus das Santas Chagas

Dia 13/09/19 foi o dia em que nosso chão desabou padre, moramos em Cabedelo litoral da Paraíba e estávamos caminhando a noite na praia quando minha esposa teve uma convulsão muito forte, chamei a Samu enquanto socorria ela e fomos para o hospital e lá descobrimos que ela tinha um tumor cerebral e que o mesmo media 6x5x4,5 cm, isso mesmo o tumor tinha o tamanho de uma maça e estava dentro do cérebro dela, e de uma forma não explicada nem pelos médicos ela não sentia dores e nem havia tido convulsões anteriores. Nosso chão caiu mas consegui dar forças a ela para vencer esta etapa, mesmo sem eu mesmo ter forças. Oramos muito, toda nossa família se fechou em orações. Fomos então fazer os exames de risco cirúrgico dela para liberação para cirurgia, e logo no primeiro exame do coração os médicos já encontraram uma alteração nos batimentos e se tivesse qualquer problema no coração não poderíamos realizar a cirurgia na cabeça. Deixei ela na clínica fazendo os demais exames e fui para casa buscar os remédios que ela estava tomando para mostrar para a cardiologista e no caminho todo enquanto rezava pedia um sinal pra Deus, um sinal de que ele segurava nossa mão, um sinal de que não estávamos sozinhos nesta luta, quando cheguei no hospital os resultados dos outros exames mais detalhados do coração que ela havia feito estavam prontos e o coração dela estava excelente, as alterações que haviam dado no primeiro exame eram consequências da angústia e ansiedade que ela estava sentindo naquele momento. Este foi o primeiro sinal de Deus na nossa batalha. A cirurgia dela era muito cara e eu não sei se teria todo o dinheiro para custeá-la, nós pagamos plano de saúde, porém como nos casamos recentemente ela ainda estava na carência, foi aí que começamos uma luta judicial contra o plano para conseguir que a cirurgia fosse feita em caráter de urgência, porque ela não podia suportar os 20 dias restantes de carência do plano aguardando a liberação da cirurgia. Os advogados conseguiram a liminar do juiz liberando a cirurgia, então marcamos tudo e fomos para o hospital. O juiz havia espedido a liminar mas o plano não a cumpriu, e aquela luta continuava, eu segurando os médicos e tentando acalmar minha esposa e os advogados correndo atras de outra liminar mais severa. Por fim uma internação que estava agendada para as 12:00 hs acabou acontecendo as 17:30 pela glória do senhor Jesus, havíamos conseguido a cirurgia. Até este momento eu era uma rocha, era forte, passava pra minha esposa que tudo ia dar certo, mas a partir do momento que ela entrou na sala de cirurgia eu desabei padre, comecei a chorar, todo medo me veio a tona, o medo de perdê-la, de ela ficar com alguma sequela (e haviam muitos riscos). Fui para o quarto e fiquei orando para tudo correr bem. Estava tão nervoso que não conseguia nem me concentrar para rezar, passei a noite toda orando, pedindo a Deus para que colocasse um anjo dele naquela sala de cirurgia. A cirurgia que começou as 17:30hs foi terminar a 1:30hs, porém quando pedia informações me diziam que ela ainda estava em cirurgia e somente as 4 da manhã havia ido pra UTI. Na mesma hora que fiquei sabendo que ela estava na UTI eu também fui até lá saber notícias. A angústia era grande e na recepção da UTI a recepcionista não tinha notícias dela e me disse que somente com os médicos no horário de visitas (que eram as 10:00hs). Fiquei parado na porta da UTI esperando alguem entrar ou sair e a primeira pessoa que saiu eu segurei pelos braços e pedi pelo amor de Deus que fosse saber como estava minha esposa, o enfermeiro foi até o leito dela e quando voltou me disse que ela estava acordada, estava lúcida, conversando, não estava entubada. A cirurgia tinha sido um sucesso padre. Liguei para o médico que fez a cirurgia e ele me deu detalhes, ele conseguiu retirar 100% do tumor, ela não ficou com nenhuma sequela, e o tumor era epidermóide (feito de pele), o que dizia que era benigno, que não necessitava de quimio nem radioterapia. Deus foi muito bom padre. Então pude ver minha esposa na UTI, logo que cheguei ela já veio toda sorridente conversar comigo, e me perguntou porque não fiquei no leito dela na noite anterior, o porque eu havia saído dali e ido pro leito vizinho. Padre eu não pude entrar na UTI na noite anterior. Minha esposa disse que a hora que ela saiu da sala de cirurgia (e ela ja saiu consciente de la) eu estava ajudando a empurrar a maca dela ao lado esquerdo da maca, na frente havia um enfermeiro e no lado direto estava o médico, e que chagando na UTI eu a deixei em seu leito e fui para um leito próximo ao dela em que se encontrava um senhor muito debilitado e em um estado muito delicado de saúde e que eu fiquei ali por toda a noite. Padre não era eu, este foi o anjo que eu tanto pedi a Deus que colocasse na sala de cirurgia, o anjo a acompanhou até o leito da UTI e quando viu que ela estava bem foi para um leito mais necessitado. Deus esteve presente conosco o tempo todo. Ela ficou internada na UTI por 2 dias e mais 2 dias no quarto e teve alta. Graças a Deus ela está se recuperando muito bem e nós padre nós só temos a agradecer o Deus maravilhoso e misericordioso. Este foi o relato da nossa graça recebida, do nosso milagre, da nossa nova chance de viver. Amém.